Revista Bagre: debate sobre cultura em Jundiaí

Revista Bagre: projeto inspirado nos peixes jundiás que, ao dar nome ao Rio Jundiaí, acabaram por nomear também a cidade. Tomando como exemplo o exercício narrativo daqueles bagres [piscadela de olho para o leitor], a proposta da Revista Bagre é fazer Jundiaí olhar para sua própria cultura de forma crítica e recriá-la constantemente. Nosso desafio é pensar e divulgar a cultura local tendo em vista questões globais, assim como trazer debates globais para as trocas locais de informação cultural. Dessa forma, ao longo de cada edição, estaremos prosseguindo com a história que começou com os bagres no fundo do rio.

– Editorial – Revista Bagre nº 1 – outubro de 2009

Produzida e publicada de modo independente, a Revista Bagre circulou por Jundiaí, SP, entre outubro de 2009 e fevereiro de 2010. Queria falar sobre a cultura local, ajudar a dinamizá-la e disseminá-la, queria abrir espaços. A publicação discutiu políticas públicas na área da cultura, veiculou conteúdos de artistas locais e procurou debater, também, a relação da cidade com o meio ambiente. No entanto, como acontece com muitas publicações independentes, a Revista Bagre durou apenas três edições, que podem ser baixadas, em formato PDF, por meio dos links a seguir.

Revista Bagre 1 - Jundiaí - Outubro de 2009Revista Bagre 1 – Outubro de 2009

Revista Bagre 2 - Jundiaí - Dezembro de 2009 Revista Bagre 2 – Dezembro de 2009

Revista Bagre 3 - Jundiaí - Fevereiro de 2010 Revista Bagre 3 – Fevereiro de 2010