Vereador paulistano tenta constranger debate sobre gênero e educação

O vereador Ricardo Nunes (PMDB) encaminhou notificação à direção da EMEF Desembargador Amorim Lima, em São Paulo, requisitando “preventivamente a suspensão” da semana Gênero e Educação.  O peemedebista adjetivou o debate na escola como iniciativa “ilegal e arbitrária”. A escola argumenta que as atividades foram discutidas com a comunidade escolar – alunos, pais, professores e funcionários – e que estão alinhadas ao Projeto Político Pedagógico da instituição, ao Artigo 2º do Plano Municipal de Educação de São Paulo e à Meta 3 do mesmo documento.

No ultimo dia 28, a Associação Cidade Escola Aprendiz publicou nota de repúdio à atitude do vereador: “As organizações que subscrevem essa carta vêm a desmentir e repudiar a atitude do vereador, reafirmando a autonomia e o compromisso da escola pública brasileira, enquanto instituição republicana, com a busca pela equidade, a promoção da diversidade e a superação das desigualdades sociais – princípios contemplados pela Constituição Federal de 1988 e as Diretrizes Nacionais de Educação, além da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB) e o Plano Nacional de Educação (PNE)”. Assinaram entidades como Ação Educativa, CENPECCoordenação de Educação em Direitos Humanos da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania de São Paulo.

Para saber mais sobre a importância do debate sobre gênero nas escolas, confira esta reportagem. É possível assinar a nota de repúdio da Associação Cidade Escola Aprendiz por meio do formulário em https://goo.gl/forms/NZnYz1Zbg9gMrqP12.

A seguir, reproduzimos a notificação do vereador Ricardo Nunes e a resposta da EMEF Desembargador Amorim Lima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *