Oficinas de TV ajudam a resgatar a autoestima de adolescentes

Publicado originalmente em VIA blog – Direitos da Criança e do Adolescentes em 24 de janeiro de 2012.

A TV Novo Degase, projeto realizado pelo Departamento Geral de Ações Socioeducativas – Novo Degase, da Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro, é a primeira TV no mundo produzida por pessoas privadas de liberdade. O objetivo é criar, por meio das oficinas de televisão, espaço sócio-pedagógico propício para o desenvolvimento da autoestima dos jovens em conflito com a lei e que facilite o aprendizado da escrita, da leitura e do relacionamento social.

Os jovens sugerem pautas, produzem os programas e realizam entrevistas, muitas delas com autoridades ou celebridades selecionadas por eles. Dentre as personalidades já entrevistadas estão o jornalista e escritor Arnaldo Niskier, o cartunista Maurício de Sousa, o governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, a escritora Thalita Rebouças e o juiz Marcius da Costa.

As oficinas são realizadas duas vezes por semana dentro dos Centros de Internação e, mediante decisão da Vara da Criança e do Adolescente, os jovens podem obter permissão para realizar reportagens externas em locais como o Parque Lage, a Casa França Brasil e o Palácio das Laranjeiras. Segundo a pedagoga Andressa Werneck, que integra a equipe do projeto desde o seu início, “o trabalho, apesar de ter como pano de fundo a questão técnica da operação de câmera ou da produção de um roteiro, tem como principal objetivo promover valores como cidadania, trabalho em equipe, respeito e, principalmente, o resgate da autoestima dos jovens”, diz.

No final de 2011, a TV Novo Degase formou a quarta e a quinta turmas do projeto e pretende formar mais cinco turmas até o final de 2012. Ao final das oficinas, que duram três meses e oferecem dez vagas por turma, os jovens recebem certificados, embora, como ressaltou Andressa, não se trate de um curso de capacitação. “Alguns poucos adolescentes trabalham com vídeo depois de libertos, filmando eventos como festas e casamentos”, completou a pedagoga. Dois jovens da primeira turma, hoje, trabalham como monitores do projeto com carteira assinada.

A seleção dos jovens para as oficinas é feita por meio de testes de vídeo, de trabalho em grupo e de redação. É pré-requisito ter cursado até o sexto ano do ensino fundamental e, por isso, a maioria dos jovens selecionados tem entre 16 e 20 anos de idade – as turmas são mistas. Para Andressa Werneck, “o principal é que os jovens querem muito participar das oficinas”.

De acordo com a pedagoga, a ideia é mostrar que eles podem mudar de vida. Ela conta que, como dentro das instituições não existem espelhos, o jovem se surpreende ao ver sua imagem através das câmeras e sente o desejo de melhorar essa imagem. Para Andressa, trata-se de um processo de reconstrução da própria imagem. As oficinas trabalham também a apresentação de outras perspectivas de vida para os jovens. “Fala-se sobre religião, por exemplo, e aprende-se a conviver com outros credos. Muitos vão para fazer amigos; para conhecer jovens com quem não podiam interagir por serem de facções rivais. Durante as dinâmicas de relaxamento, há um momento em que os jovens dão as mãos a pessoas com quem tinham uma relação de conflito”, revela.

O projeto foi criado por Eduardo Caon, então coordenador de Educação, Cultura, Esporte e Lazer do Novo Degase, no final do ano de 2009. O primeiro programa da TV Novo Degase foi ao ar, via internet, em outubro de 2010 e, em dezembro do mesmo ano, foi realizada a cerimônia de inauguração da TV na Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro. Atualmente, seus programas também podem ser vistos na grade de programação semanal da TV Alerj.

Segundo Caon, a metodologia do projeto é passível de ser replicada em outras instituições, o que já está em via de acontecer. A Fundação de Atendimento Sócio-Educativo – FASE acaba de visitar o Novo Degase com o objetivo de levar a experiência do projeto ao Rio Grande do Sul. “Quanto mais esse material for reproduzido mais estaremos contribuindo para a desestigmatização dos jovens”, conclui o coordenador de Educação, Cultura, Esporte e Lazer do Novo Degase.

Bernardo Vianna / VIA Blog

3 pensamentos em “Oficinas de TV ajudam a resgatar a autoestima de adolescentes”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *